O melhor skate eletrico

Em termos simples, a humanidade está a viver na era dourada da tecnologia cavalgável, e nós adoramo-la. De facto, há quase demasiados objectos cavalgáveis para acompanhar, e o equipamento parece ficar mais louco e mais avançado a cada mês que passa. Assim, para o ajudar a navegar no mercado cada vez mais concorrido, elaborámos esta lista dos melhores skates eléctricos que pode comprar neste momento.

Pusemos as nossas mãos em alguns dos mais poderosos e-boards da indústria, olhando para critérios como durabilidade, duração da bateria, facilidade de utilização, e preço. O Boosted Stealth é a nossa melhor escolha, porque possui conforto, controlo e tem diferentes modos de escolha.
Os nossos editores pesquisam, testam e classificam de forma independente os melhores produtos. Só ganhamos dinheiro se comprar um produto através das nossas ligações, e nunca aceitamos produtos gratuitos dos fabricantes.

 

Os melhores skateboards eléctricos de 2022

Estes patins eléctricos de topo estão a povoar o mercado mais rapidamente do que se pode dizer “Já não consigo fazer exercício”, com uma variedade de opções provenientes tanto de empresas iniciantes como de empresas estabelecidas. Estes skates eléctricos têm, cada um, uma enorme variação nas suas estruturas de preços devido à capacidade, velocidade máxima, tamanho, e desenvolvimento de controladores. Com tantas opções disponíveis, como é suposto saber quais são os melhores skateboards eléctricos? É para isso que estamos aqui.

 

O melhor skate eletrico geral: Onewheel+ XR

O irmão maior da Onewheel Pint, a Onewheel+ XR sempre foi uma das nossas placas favoritas. Esta roda simples auto-equilibrada pode ir um pouco mais rápido que a Onewheel Pint e tem um alcance significativamente mais longo. É também mais confortável andar durante períodos mais longos, devido ao convés maior, e pode rolar sobre muitos obstáculos e cobrir terrenos que seriam impossíveis com a grande maioria dos outros skateboards.

  • Velocidade máxima testada: 17 mph | Alcance máximo testado 16,3 milhas
  • Maneja colinas íngremes
  • Passa por cima de quase tudo
  • Tempo de carregamento rápido

O irmão maior da Onewheel Pint, a Onewheel+ XR sempre foi uma das nossas placas favoritas. Esta roda simples auto-equilibrada pode ir um pouco mais rápido que a Onewheel Pint e tem um alcance significativamente mais longo. É também mais confortável andar durante períodos mais longos, devido ao convés maior, e pode rolar sobre muitos obstáculos e cobrir terrenos que seriam impossíveis com a grande maioria dos outros skateboards.

Embora esta prancha possa não ser a mais prática para o skatista sério ou para o pendular diário, esta prancha é de longe a mais divertida para brincar e pode proporcionar horas de entretenimento para tudo, desde casamentos até um dia na praia – levamo-la a ambos! É uma verdadeira explosão para montar, mas este quadro pode ser uma compra bastante cara e difícil de justificar se não o utilizar regularmente.

Grande desempenho off-road

Para uma tábua capaz de lidar com pavimento e terreno fora de estrada de má qualidade para um pouco mais barato do que o Onewheel XR, consulte o Onewheel Pint. Este pequeno skate auto-equilibrador de tamanho pequeno é excepcionalmente divertido de montar, com a sua enorme roda única a ultrapassar facilmente obstáculos e terrenos que parariam outras pranchas nos seus trilhos. É bastante confortável de montar, sobe colinas solidamente íngremes com facilidade, e tem uma excelente capacidade de travagem.

  • Velocidade máxima testada: 14,16 mph | Alcance máximo testado 10,8 milhas
  • Rápido
  • Sobe facilmente todas as colinas, excepto a mais íngreme das colinas
  • Travões excelentes
  • Gama moderada
  • O auto-equilíbrio não é para todos

No entanto, a Onewheel Pint pode estar desligada se não for adepto de tábuas de auto-equilíbrio. A tábua é essencialmente inútil quando a sua bateria morre e pode ser um pouco menos confortável do que as tábuas normais para passeios de longa distância. Também não pode escalar as colinas mais íngremes sem sair do fundo. É uma opção fantástica se estiver à procura da sensação de surf de uma prancha monowheel, mas aqueles que procuram uma sensação mais tradicional para a sua experiência de E-skateboarding devem procurar outro modelo.

A melhor relação custo-benefício

Se estiver à procura de um skate eletrico com rodas e não quiser quebrar o banco, verifique o Backfire G2. Esta opção acessível resiste ao melhor dos melhores no departamento de velocidade – atingindo uma impressionante velocidade máxima de 22mph durante as nossas provas de tempo. A nossa equipa de teste adorou o manuseamento e a condução geral deste modelo. As rodas grandes, eixos largos e distância entre eixos extra-longa garantem o seu esmagamento sobre fendas e cantos a alta velocidade em toda a cidade.

  • Velocidade máxima testada: 22 mph | Alcance máximo testado 12,9 milhas
  • Rápido
  • Rodas grandes
  • Económico
  • Velocidades de subida medíocres
  • Outros modelos oferecem maior alcance
  • Bulky

 

Durante os nossos testes de gama, descobrimos que este modelo fica um pouco aquém de outros modelos. Se quiser fazer um cruzeiro a velocidades mais baixas e certificar-se de que pode ir mais longe numa viagem, talvez queira ir com uma prancha diferente. Quando subimos colinas com o G2, descobrimos que ele se debateu um pouco, embora tenha conseguido chegar ao topo do nosso percurso de teste. O peso desta tábua está no meio, mas é mais volumosa que os mini modelos ou os Onewheels. Apesar destas poucas falhas, adorávamos triturar este skate pela cidade e recomendá-lo-íamos a qualquer pessoa que procure este estilo de skate eletrico e que esteja a fazer compras com um orçamento.

Melhor skate standard de orçamento

Se procura um skate eletrico de 4 rodas com um orçamento, pensamos que o Meepo V3 é uma óptima opção. Esta prancha é excepcionalmente rápida, especialmente tendo em conta o seu baixo preço, e é uma explosão para montar. O convés tem muita flexibilidade, proporcionando uma viagem suave mesmo quando o pavimento está cheio de fissuras e solavancos. Também tem potência mais do que suficiente para escalar a maioria das colinas que normalmente se encontram e tem uma pega integrada para fácil transporte.

  • Velocidade máxima testada: 22 mph | Alcance máximo testado: 8,6 milhas
  • Rápido
  • Relativamente barato
  • Gama inferior
  • Peso médio

A nossa única queixa com este quadro é o seu desempenho medíocre no nosso teste de gama. Viajou uma distância consideravelmente menor antes de morrer em comparação com as outras pranchas, por isso pode não ser a melhor aposta se estiver a planear uma grande deslocação no seu skate e não tiver uma boa maneira de o transportar durante todo o dia. As rodas são também um pouco mais pequenas, pelo que podem empatar um pouco mais facilmente ao passar por fendas maiores em comparação com outros modelos. Em suma, é uma óptima opção se estiver a fazer compras com um orçamento.

 

Porque deve confiar em nós?

Austin Palmer e David Wise compõem a nossa equipa de teste e análise de skate eletrico. Austin é um ávido skatista – tanto motorizado como não – e anda de skate há quase 2 décadas, percorrendo mais de mil milhas. Desde 2015, já montou e testou pessoalmente mais de 30 skates eletricos. Nos últimos quatro anos, cavalgou em todos os tipos de terreno, incluindo areia, terra, relva, passagens de montanha acidentadas, trilhos, cascalho, neve e gelo. David é formalmente formado como engenheiro mecânico e tem uma vasta experiência em sistemas de baterias de lítio e motores sem escovas, incluindo a construção de karts a pedal, carros de corrida, scooters e até um skate auto-equilibrador. Ele traz a sua perícia para comparar e pontuar a gama e poder de cada placa, bem como ajudar a criar os nossos planos de teste para estes produtos.

Passámos inúmeras horas a pesquisar as especificações destes produtos e a comparar as alegações dos vários fabricantes para primeiro determinar quais os quadros que eram suficientemente bons para serem revistos por nós, e depois determinar uma série de desafios cansativos para coroar os vencedores. Realizámos mais de 15 exaustivos testes lado a lado, medindo e pontuando tudo desde a velocidade máxima até à distância de travagem, tanto em terreno plano como num monte íngreme. Percorremos centenas de quilómetros nestas placas para ver como se aguentavam até à utilização contínua – mesmo fora da estrada! – e medimos o seu alcance máximo em terreno plano.

Análise e resultados dos testes

Dividimos o nosso teste em seis métricas ponderadas diferentes cobrindo os aspectos mais importantes destes produtos e levámo-los ao limite. Embora a primeira impressão destes produtos possa ser de que eles só existem como um artigo de novidade, estas pranchas podem ser um grande veículo de transporte diário para os entusiastas do skate. É difícil argumentar com a capacidade de activar fácil e rapidamente os travões ou subir uma colina com facilidade. Estes produtos como um todo estão a tornar-se cada vez mais acessíveis, tornando-os acessíveis a uma grande variedade de utilizadores.

A segurança em primeiro lugar

Recomendamos sempre que todos usem o equipamento de protecção adequado, quer sejam pilotos novos ou experientes, e que verifiquem as regras e regulamentos locais sobre a utilização destes produtos antes de montar – ninguém quer sofrer um ferimento, uma multa ou uma citação.

Infelizmente, se quiser um skate eletrico de alto desempenho, terá de pagar por ele. O melhor skate custa facilmente mais de mil dólares, uma quantia considerável de dinheiro, por isso vale a pena considerar quanto planeia usar o skate e quanto lhe dará se estiver a olhar para o escalão superior do skate.

Velocidade

Precisa de velocidade? Esta métrica representa 25% da pontuação final de cada skate e é baseada tanto na velocidade máxima medida como na aceleração. Medimos o tempo que cada skate levou para completar uma distância conhecida, dando-lhe espaço suficiente para atingir a velocidade máxima antes de entrar no percurso, e depois calculámos a sua velocidade máxima. Depois fizemos a média dos resultados de vários testes para determinar as pontuações finais.

Para avaliar a aceleração de cada skate eletrico, cronometrámos o tempo que cada modelo levou para percorrer um percurso de 50′, com um arranque estacionário. Também tivemos em conta a intuição da aceleração dos nossos diferentes provadores depois de terem registado um tempo significativo em cada placa.

Quando verificámos a velocidade máxima do V3 ficámos espantados, especialmente tendo em conta o seu preço. Este modelo está no topo a 22mph.

Este quadro é rápido mas não é o nosso favorito.

  • O Skatebolt Breeze atingiu um máximo de 20,73 mph durante a nossa avaliação da velocidade, e registámos um tempo médio de aceleração de 4,26 segundos.
  • O Skatebolt atinge picos a quase 21 mph.
  • O Skatebolt atinge uma velocidade máxima de quase 20 mph.
  • A Onewheel+ XR atingiu uma velocidade média de 17 mph no nosso teste – um pouco menos do que as 19 mph reivindicadas pelo fabricante, mas mais do que suficiente para o nosso gosto.
  • O Onewheel+ XR é rápido, mas é preciso ter cuidado com o empurrão.

Durante a nossa avaliação da velocidade, ficámos impressionados com o Backfire G2. Este skate não é o mais rápido em aceleração em comparação com os outros – registámos um tempo médio de 4,69 segundos. Contudo, durante a nossa análise de velocidade máxima, conseguimos obter este modelo até 21,26 mph.

Este quadro é um dos melhores, se quiser ir depressa.

O Riptide R1 teve a sua própria participação neste teste, correspondendo ao desempenho de algumas pranchas que são significativamente mais caras. Esta placa atingiu uma média respeitável de 19,9 mph no nosso teste de velocidade máxima e teve um desempenho decente quando se tratou de aceleração, terminando ligeiramente acima da média.

O Hiboy S22 saiu-se bastante bem com uma velocidade máxima de 18,16 mph. O tempo médio de aceleração para este modelo foi de 4,91 segundos.

Temos algumas velocidades decentes com este skate.

O Teamgee H5 é bastante rápido, registando uma velocidade máxima média de 17,43 mph no nosso teste. O Onewheel Pint não teve uma das velocidades máximas mais rápidas nos nossos testes, chegando a pouco mais de 14 mph, mas tem uma aceleração fenomenal.

Pode obter grande rapidez com o Pint.

É extremamente rápido a sair da linha de partida e sobe à velocidade mais rapidamente do que quase todas as outras pranchas do grupo.

O Metroboard tinha alcance suficiente para manter até o nosso mais dedicado…

Alcance

Os nossos testes de gama foram os próximos em termos de importância, compreendendo 20% da pontuação final de cada skate. Corríamos cada prancha em terreno relativamente plano até a bateria se esgotar, mantendo-as num modo “Eco”, se disponível, ou no modo de equitação mais próximo do meio. Também cronometrámos o tempo que levou para que cada tábua recarregasse depois de ter sido completamente drenada.

Preso com uma pilha descarregada?
Se a sua bateria morrer enquanto estiver a montar, não está totalmente sem sorte – dependendo do quadro em que estiver, pelo menos. Os modelos de auto-equilíbrio, como o Onewheel Pint ou Onewheel+ XR, não podem ser montados depois de ficarem sem energia, por isso vai querer prestar especial atenção à gama destas pranchas quando planear os passeios. As pranchas accionadas por hubs são exactamente o oposto, pois podem ser montadas tal como um skate normal quando a bateria se esgota, com apenas um aumento quase imperceptível da resistência ao rolamento. As pranchas de skate têm uma resistência bastante perceptível em comparação com um skate normal quando se empurra manualmente, mas normalmente é possível percorrer curtas distâncias sem sofrer muito.

XR significa alcance alargado, e o Onewheel+ XR fez jus a esse moniker. Este quadro cobria uma impressionante superfície de 16,3 quilómetros antes da sua morte. Também cobra excepcionalmente rápido, demorando apenas cerca de duas horas no nosso teste.

Quando testámos a gama Backfire G2 e Skatebolt Breeze II, vimos resultados sólidos, ambos com pontuação de 6 em 10. O Backfire G2 foi capaz de proporcionar uma diversão de topo durante 12,4 milhas e depois rastejou por mais meia milha antes de a bateria finalmente perder todo o seu sumo. A bateria leva cerca de 2 ½ horas a carregar, mas considerando a velocidade, aceleração e alcance, pensamos que isso é inteiramente razoável.

Se procura um skate eletrico de topo, este é um dos nossos preferidos.

  • O Skatebolt caiu um pouco abaixo do G2 a 12 milhas, mas a bateria permaneceu eficaz durante quase todo o tempo. O Skatebolt não tem um tempo de carregamento muito impressionante – demorámos 3 e ½ horas a chegar aos 100%, embora o fabricante afirme que cobra em 2.
  • O Riptide R1 era o mais afastado do grupo, chegando a uma paragem completa a pouco mais de 9 milhas, mas abrandou tanto que o seu alcance efectivo parece estar mais próximo das 6,5 milhas. Também leva um pouco mais de tempo a carregar, cerca de duas horas. Medimos o Meepo V3 para ter um alcance máximo de 8,6 milhas e a bateria demorou 2 horas e 30 minutos a carregar.

No final do grupo, o Teamgee H5 cobriu 7 milhas antes de desistir. Infelizmente, começou a abrandar um pouco após 5 milhas e demorou cerca de 170 minutos a recarregar.

Chris McNamara a testar a travagem em descida de um dos Conselhos Reforçados. A travagem foi óptima até que a travagem regenerativa sobrecarregou a bateria fazendo com que os travões parassem de funcionar. Certifique-se de que drena suficientemente a bateria antes de uma longa descida.

Condução

Esta métrica cobriu como cada prancha se sentia em condições ideais e desafiantes. Avaliamos o conforto de cada prancha, bem como os modelos que nos apelaram repetidamente, que possuíam aquele certo je ne sais quoi. Também avaliámos a forma como cada tábua se comportou face à adversidade: como se comportou em terreno acidentado e se poderia negociar com sucesso fendas inesperadas no trilho.

  • O Backfire G2 é confortável, tem uma grande aderência e sente-se 100% sólido a alta velocidade. A sua longa distância entre eixos, rodas grandes e camiões largos ajudam-no a lidar mesmo com os solavancos e fissuras mais desagradáveis. Esta era uma das nossas placas favoritas para triturar.
  • O Onewheel+ XR e o Onewheel Pint não são tão confortáveis de montar durante longos períodos de tempo como um skate tradicional de 4 rodas, mas descobrimos que fomos atraídos por este par vezes sem conta – quase tanto como a prancha acima – simplesmente porque são tão divertidos de montar.

Areia solta e sujidade podem ser um começo difícil.

Embora os modelos de auto-equilíbrio não sejam tão confortáveis de montar como o Backfire G2, o seu desempenho na travessia de terrenos acidentados e na manipulação de fendas inesperadas é inigualável. Não admira, pois é fácil ver que as tábuas concebidas para viajar sobre lama, relva, areia e neve devem lidar facilmente com alguns pontos ásperos no alcatrão. Qualquer uma destas tábuas seria a nossa primeira escolha se soubéssemos que estaríamos a andar num pavimento menos perfeito.

Nem todos os modelos conseguem lidar com neve escorregadia.

As rodas mais pequenas do Meepo V3 vibram um pouco mais do que os modelos Onewheel ou skateboards eletricos com rodas de poliuretano de maiores dimensões. No entanto, gostamos muito da flexibilidade e do arqueamento do convés. Este modelo é confortável de se manter de pé, e os nossos testadores concordaram que é um grande passeio em geral.

Embora não tenha o maior alcance, o Meepo oferece uma grande…

  • O Skatebolt não é particularmente confortável para ficar de pé, mas gostámos da flexibilidade e achámos que era um passeio suave no geral.
  • Alguns skates eletricos, tais como o Boosted Mini X, têm um kick tail….
  • O Teamgee H5 tem uma pedalada rattly e desagradável quando passa por cima de um mau pavimento, por isso não nos atraiu particularmente, a menos que soubéssemos que iríamos andar em estradas lisas. No entanto, é suficientemente confortável que não odiemos montá-lo por períodos mais longos, desde que a estrada fosse lisa.
  • O Riptide R1 é uma prancha surpreendentemente divertida e confortável de montar, mas não éramos fãs do controlador e de como a prancha respondia às suas ordens. Também tem um convés mais rígido, pelo que se sente um pouco mais as fendas e fendas.
  • O convés é um pouco rígido neste tabuleiro e não é incrivelmente…

Colinas

Um dos melhores benefícios de possuir um skate eletrico é a capacidade de subir colinas com facilidade. Contudo, nem todos os skates eletricos são iguais, e uma colina que é fácil para um modelo pode revelar-se um obstáculo intransponível para outro. Colocamos estes produtos à prova para encontrar a quantidade máxima de colina que poderiam subir e ver se correspondia à reivindicação do fabricante. Mais uma vez, o nosso testador era um macho adulto de tamanho médio para estes testes, e um cavaleiro menor ou maior poderia encontrar capacidades de subida de colinas ligeiramente diferentes das que nós encontrámos. No entanto, a tendência geral e a ordem permaneceriam as mesmas.

O Onewheel Pint tem tido um desempenho de escalada fenomenal. Esta prancha tem potência mais do que suficiente para a maioria das colinas, mas não consegue subir as mais inclinadas, uma vez que a prancha vai descer e começar a arrastar-se se a inclinação for demasiado íngreme.

A Onewheel+ XR acelerou uma inclinação de 15%, mas lutou na inclinação de 23%. Tanto a Onewheel+ XR como a Onewheel Pint podem subir colinas com a mesma inclinação, mas a Pint subiu a colina 15% um pouco mais depressa do que a XR, o que lhe valeu uma pontuação mais alta.

O R1 lutou definitivamente com as colinas mais íngremes.

O Teamgee H5 subiu a colina de teste de 15% sem grandes problemas. No entanto, no início, lutou um pouco até ter algum ímpeto. No entanto, os 23% da colina era demasiado para o Teamgee H5. O Backfire G2 e o Meepo V3 chegaram ao topo da colina, embora tenham demorado mais tempo do que os modelos de pontuação mais alta.

Alguns dos diferentes estilos de controlo remoto das placas que testamos.

 

Construir

Para esta métrica, comparamos alguns dos aspectos não cavalgantes destes produtos. Analisámos a ergonomia do comando à distância (se é que havia um), a capacidade de resposta de cada skate eletrico e controlador, o nível de serviço ao cliente que recebemos, e o peso de cada unidade.

Ambas as placas de roda única têm travagem regenerativa e excelente apoio ao cliente. Achámos que a entrada de controlo de auto-equilíbrio das placas Onewheel é a mais reactiva – muito superior às das placas com controlos. Além disso, existe também uma aplicação que lhe permite ajustar as definições destas placas através do seu telefone.

O Onewheel+ XR é uma tábua solidamente construída.

O Backfire G2 parece sólido. Adoramos o convés, a fita adesiva, os camiões largos e as rodas grandes. O controlador tem um toque ergonómico, e somos sempre fãs dos anéis dos dedos e dos aceleradores dos polegares. O cordão de segurança ajuda a mantê-lo preso no caso de uma fuga. A nossa equipa de teste não encontrou problemas de conectividade entre o controlador e a própria direcção.

Achámos este quadro super confortável e divertido de montar.

O Riptide R1 é uma das pranchas mais leves que já vimos, mas é um pouco exigente e pouco fiável para comandos remotos. No entanto, as pegas de transporte são uma característica agradável, e têm um sólido apoio ao cliente. O Teamgee H5 é um pouco mais pesado, mas é muito mais reactivo aos inputs, sem qualquer atraso perceptível. Também gostámos do controlo à distância, mas constatámos que faltava o serviço ao cliente. O Meepo V3 pesa 16,9 libras, o que é mais ou menos a média do que já vimos. O controlador do Meepo tem um visor fácil de ver, botões simples, e liga-se facilmente ao quadro.

A flexão extra no convés desta tábua tornou-a mais agradável para cavalgar sobre obstáculos.

Por último, mas não menos importante, a capacidade de travagem de cada placa constituiu esta métrica final, no valor de 10% da pontuação total. Testamos como os travões funcionavam bem para permitir manter uma descida controlada por uma colina íngreme, bem como como o modo como se faziam para o levar a uma paragem completa em terreno plano e quanto tempo durava a distância de travagem.

A Onewheel Pint e a Onewheel+ XR têm, na nossa opinião, os melhores travões do grupo. O XR faz um excelente trabalho ao permitir-lhe controlar a sua velocidade numa colina íngreme e só levou cerca de 15′ para parar completamente nos nossos testes a partir de uma velocidade de cerca de 12 mph.

O Onewheel Pint chegou a uma paragem ainda mais rápida nos nossos testes, tendo apenas 14′ para chegar a uma paragem completa. Também torna muito fácil controlar a sua velocidade ao descer a colina, mas é limitado se a colina ficar demasiado íngreme, pois a parte de trás da prancha começará a arrastar-se.

O Meepo V3 trava bem em colinas, embora devamos mencionar que demora alguns segundos a travar se tiver uma quantidade considerável de impulso.

Demasiada fé nos travões? Não abuse dos seus limites.
Embora ter travões numa tábua seja uma adição fantástica, é sensato recordar que eles não são 100% fiáveis. Muitos destes painéis utilizam as propriedades eletricas do motor para abrandar e desviar essa energia para a bateria, em vez de um travão mecânico, e podem ser desactivados se a bateria estiver demasiado cheia ou em outras circunstâncias. Um exame cuidadoso do manual do proprietário indicará as precauções necessárias para utilizar os travões em cada placa.

Pronto a cavalgar para o pôr-do-sol após um longo dia de testes.

Conclusão

Escolher o skate eletrico perfeito para se adaptar às suas necessidades e orçamento pode ser uma tarefa surpreendentemente difícil dada a enorme variedade de custos e capacidades. Os skates mais baratos podem oferecer poupanças iniciais, mas são mais um brinquedo inovador do que um modelo topo de gama que poderia até substituir um veículo e tornar-se um meio de transporte diário. Espero que esta revisão o tenha ajudado a identificar quais os conselhos de administração mais adequados para si e o tenha ajudado a tomar uma decisão de compra com a qual ficará satisfeito durante muito tempo.